Erros na pressão de calibragem podem levar a graves consequências. Fique sempre atento!

Procedimento frequente em veículos, a calibragem é realizada sem preparo prévio pelos próprios donos dos veículos. Contudo, é um procedimento muito importante e necessário. Assim, alguns cuidados são essenciais para evitar dor de cabeça. Veja na sequência algumas dicas importantes que ensinam sobre a calibragem correta dos pneus.

1 – Consulte o manual do carro e siga as recomendações do fabricante

Para fazer o procedimento correto, primeiramente, é necessário verificar a pressão certa para o pneu no seu carro. E isso você pode encontrar no manual do veículo*. Geralmente, o manual também indica a calibragem para diferentes pesos ou cargas. Por exemplo, se você costuma andar sozinho ou com mais 1, 2, 3 ou 4 passageiros.

*Obs.: às vezes, esta indicação também está na lateral do veículo, em uma etiqueta comumente encontrada ao abrir a porta do motorista.

2 – Atenção para a temperatura, calibre os pneus frios

Ao chegar no posto, primeiramente abasteça ou lave seu carro (se for o caso). Somente depois vá calibrar seus pneus, quando estiverem mais frios. Quando quentes, eles podem enganar o calibrador, pois a pressão do ar estará elevada ao passar para os pneus.

3 – Frequência para calibrar

O ideal é calibrar os pneus sempre uma vez por semana. Contudo, se você não costuma rodar muito, pode calibrar logo após abastecer seu carro. Assim, você consegue fazer a calibragem dos pneus numa frequência razoável e ainda obedecerá o item acima, que trata da calibragem dos pneus frios.

4 – Ar escapando durante a calibragem

Se, ao calibrar os pneus, você perceber que o ar está saindo, retire a mangueira do bico do pneu e coloque-a novamente. Isso irá evitar que o ar escape antes de chegar ao pneu. Por mais incrível que possa parecer o escape de ar acaba acontecendo com frequência, e muitos usuários não recolocam a mangueira.

5 – Não se esqueça do estepe!

Já imaginou precisar trocar o pneu e, quando for olhar, ver que o estepe está vazio? Isso seria terrível não é mesmo? Portanto, sempre que for calibrar os quatro pneus rodantes, abasteça também a pressão de ar do estepe. Procure evitar surpresas desagradáveis.

Você pode colocar três ou quatro libras a mais do que o indicado para seus pneus. Assim, já desconta o desgaste que ele terá por ainda ficar muito tempo sem ser usado.

Consequências da calibragem errada

Demora para calibrar

Se você demorar muito a calibrar, poderá causar problemas. Pois rodar muito tempo com a pressão baixa acelera o desgaste dos pneus.

Baixa pressão nos pneus

Uma calibragem errada para menos pode prejudicar gravemente os seus pneus. A durabilidade fica reduzida em até 30%, pois aumenta o desgaste e a sobrecarga da banda de rodagem. Também há chances de deformação e aquecimento exacerbado, aumentando riscos de explosão dos pneus.

Outra consequência grave da baixa pressão de calibragem está no comprometimento da dirigibilidade do veículo. Com menos pressão do que o ideal, a direção fica menos precisa, o que aumenta o risco de acidentes.

Alta pressão nos pneus

Quando você calibra demais os pneus, também há graves consequências. Muita pressão faz com que haja menos aderência dos pneus ao solo. Também é aumentado o risco de acidentes assim. Pois, se precisar fazer uma frenagem de emergência nas estradas, pode perder a direção do veículo, principalmente em alta velocidade ou em curvas.

Com o pneu mais pressionado internamente, é provocada ainda maior rigidez. Por participar da suspensão, o pneu mal calibrado pode levar ao desgaste prematuro de todo o sistema. Além de causar a diminuição do conforto ao dirigir.